Ciclos Naturais e Maternidade

A Vida é cíclica naturalmente e as mulheres são um fenômeno da Natureza

Ciclos Naturais Femininos e Maternidade na Casa NaUnidade

logo-colorido-450

Ciclos Naturais e Maternidade

Encontros na Casa NaUnidade para as mulheres reconhecerem a natureza cíclica de seu corpo, sua alma e humores. É no compartilhar rendido de um círculo sagrado de mulheres que reencontramos elementos que resgatam o sentido de ser quem somos…

A Natureza é cíclica… as estações do ano e as fases da Lua afetam nossas vidas por dentro e por fora… também nosso sistema endócrino (hormônios), principalmente nas mulheres.

ciclos-naturais-e-maternidade

A Função das atividades aqui é de sincronizar os ciclos naturais femininos ao ciclo da lua, encaixando a Consciência e a Percepção em seu devido lugar: COMO PARTE DE UMA NATUREZA MAIOR.

Essencialmente a mulher pode sincronizar-se com cada aspecto da lua em seu ciclo fertil:

LUA NOVA: introspecção, sustentação do vazio, lua do final de uma menstruação sincronizada com o ciclo fértil feminino

LUA CRESCENTE: início da fertilidade, contato com a menina interior, sonhos e projetos, inícios

LUA CHEIA: fertilidade, mulher selvagem, mãe, sexualidade integrada, celebração, abundância

LUA MINGUANTE: baixa hormonal, entrega ao fluxo, deixar morrer, a velha anciã, sabedoria

No entanto, a humanidade hoje encontra-se aprisionada em padrões e condicionamentos de como as coisas e pessoas devem ser… tudo é focado em cumprimento de metas e não há espaço para as curvas e ciclos naturais que a natureza do viver nos reserva, nos surpreende… sentir não é considerado como algo que deva importar e, assim, não nos tornamos mais humanos… estamos cada vez mais semelhantes com máquinas, com robôs cumprindo prévia programação!

Essa realidade é imposta pela mente e está em todos os seres humanos… as mulheres encontram mais dificuldade de sustentar esta ilusão, devido aos seus ciclos menstruais e seus fortes ciclos de fertilidade (hormônios). Como se não bastasse sentir de forma diferente sobre a mesma coisa em momentos diferentes do mês (do ciclo), devido a variação dos hormônios e, portanto, dos humores, as mulheres veem o sangue todo mês… o sangue que serviria à vida, mas que, não fecundado, retorna à Mãe Terra… ninguém passaria “ileso” por isso… isso afeta nossa percepção, definitivamente. Nos conecta, mesmo sem querer ou entender, aos ciclos naturais da vida…

…E o momento mais sagrado… aquele que desabrocha toda feminilidade de uma mulher, todo seu esplendor interior… sua comunhão com a vida… e que precisa de todos os cuidados, respeito, compreensão: a MATERNIDADE. Hoje em dia muitos movimentos para a humanização do parto e resgate do poder da mulher no parto ajudam a trazer de volta a sabedoria dos instintos e da intuição que guiam o fluxo natural de uma maternidade saudável para o bebê, para a mãe, para o pai e para toda a família e humanidade.

Parir bem e feliz gera bebês mais inteiros, seres humanos mais em paz consigo mesmo e uma humanidade em harmonia com a Natureza dentro e fora de si. Este é o papel fundamental e tão sagrado da maternidade… o sagrado feminino é o círculo eterno que sustenta a perpetuação da vida.

Sozinhas somos muito, muito fracas para sustentar a força do Feminino Sagrado. Unidas somos o próprio Feminino Sagrado em ação.

Saiba mais informações na agenda ou nos contatando por aqui ou no e-mail: casa@naunidade.com.br